GFauth

Muito grande para falhar

Viés de baixa
GFauth Atualizado   
BMFBOVESPA:PETR4   PETROBRAS PN ATZ N2
Too big to fail eles dizem, e eu concordo. A abundância de petróleo no Brasil é o que faz esse país ser inquebrável, juntamente com o Agro e os Minérios.

Empresas estatais como a Petrobras não vão quebrar, não tem como isso acontecer e estamos vivendo um grande momento, onde a Petrobras está fazendo grandes lucros por conta do preço do Dólar e do barril de petróleo Brent. Apesar do governo atacar os dividendos que a PETR4 paga aos acionistas, eles nunca mencionam que são o sócio majoritário e que tiram uma fatia bem gorda da operação da empresa. É engraçado como o governo está disposto a acabar com a imagem de uma das maiores petroleiras do mundo, a joia preciosa do Brasil, em nome de criar uma narrativa eleitoreira.

A tentativa de intervenção na política de preços é visto como ruim para os investidores. Esse é o momento que veremos uma debandada dos acionistas para sair do risco do setor estatal. Dado esse cenário, independentemente do preço do barril, acredito que a Petrobras deve cair e buscando a mínima de Janeiro 2022, aos 23 reais. Ainda conto com o suporte em 20,50 caso o preço derreta mais.

Sobretudo, não é nem de longe o fim da empresa, duvido que o governo consiga privatiza-la neste momento, e caso percam a eleição, isso não vai acontecer, por isso pode ser uma boa promoção de compra...

Caso o governo não consiga alcançar seus objetivos de intervir na política de paridade de preços da empresa (o que faz ela ser lucrativa), podemos ver a Petrobras retomando 30 reais com facilidade, até mesmo fazendo nova máxima.

Comentário:
Alguns pontos positivos foram levantados desde que a ideia foi publicada. Dentre os maiores riscos estava a CPI ou qualquer intervenção de força bruta na estatal.

Tanto a CPI quanto uma intervenção forçada não estão mais no radar, o que alivia e muito a pressão vendedora na Petrobras.

Além disso, temos uma retomada da China nessa semana o que favorece as commodities.

Ainda ficam no radar 2 coisas:
1 - Decisão do G7 para dificultar e restringir ainda mais a cadeia de suprimento de óleo e gás russo. Caso isso aconteça, podemos ter uma escalada no preço do óleo.
2 - Estado de calamidade. Para quem acompanha, o presidente afirmou que o estado de calamidade é um botão que ele aperta se achar necessário. Isso aumenta o risco fiscal, o que é extremamente negativo pra bolsa.
Trade fechado manualmente:
Sem chance de dar certo nesse momento. Minha operação se deu em opções e encerrei completamente a posição.

A Petrobras saiu bem pela tangente no caso do aumento de combustíveis, e está bem abafada no momento, ainda com a PEC combustíveis e a redução da tributação.

No momento o petróleo vem trabalhando em níveis abaixo de 100, diminuindo a pungência da estatal, sobretudo, o dólar segue em alta, mantendo então os preços estáveis. Não há muito o que faça a ação subir ou cair no momento. Sigo observando.

Este é um estudo pessoal e não recomendação de investimento. Negocie pelo seu próprio risco.
Aviso legal

As informações e publicações não devem ser e não constituem conselhos ou recomendações financeiras, de investimento, de negociação ou de qualquer outro tipo, fornecidas ou endossadas pela TradingView. Leia mais em Termos de uso.