TVC:TRJEFFCRB   THOMSON REUTERS/CORECOMMODITY CRB INDEX
Muito tem se falado de superciclo de commodites. Aqui falo o porque tenho um pé atrás e não acredito que podemos de fato estar diante de um ciclo ainda maior do que o que tivemos de 2002 a 2008.

Repare que ações do setor (tanto as commodities soft quanto materiais básicos) já começam a despontar (por exemplo, VALE3 ). No caso específico da Vale, o minério de ferro em alta já é uma realidade, por isso o movimento está mais justificado.

O fato é a maioria das commodities está perto das mínimas em mais de 25 anos. Sabemos que esse setor da economia, setor essencial, oscila em grandes ciclos e eu naturalmente acredito que não há espaço para mais quedas.

O último grande ciclo foi puxado pelo crescimento do Dragão Asiático, e nenhuma economia se apresenta como substituta desse carro chefe. Acredito que a China continuará a crescer no ritmo que teve na primeira década dos anos 2000 então é de se supor que esse novo ciclo deva de fato acontecer mas talvez não seja tão super assim.

O sistema financeiro global provou sua resiliência em 2020, na pior crise desde a grande depressão de 29 (subprime who?). Aqui vai uma dica preciosa: o mercado de capitais sempre será protegido. O New Deal focou em infraestrutura e se provou ineficiente. O Plano do Jerome Powell funcionou perfeitamente e ele não está recebendo o devido crédito por isso... parece que ele não fez mais que a obrigação. Talvez a idéia não tenha sido dele. Talvez devêssemos agradecer ao Ben Bernake ao invés de acusá-lo, como muitos fazem, de causar a crise de 2008...

A liquidez é a chave para o sucesso da pirâmide financeira global. A elite que governa esse sistema (bancos centrais inclusos) quer se tornar ainda mais hegemônica, ela irá proteger-se a si mesma custe o que custar. E isso significa prover liquidez especialmente quando houver destruição massiva de riqueza. E prover liquidez para que seus investimentos e ativos se tornem ainda mais valiosos. Eles sabem que essa liquidez não pode jamais chegar as bases da pirâmide econômica, isso significaria uma destruição do poder que a retenção dessa liquidez dá a eles.

Uma pergunta, no entanto, muito importante e que ninguém parece muito interessado em responder é: porque o mercado de ações disparou mas o de commodities não? Parece em descompasso, parece que eles pertencem a mundos completamente diferentes. A resposta é: quando o preço das ações sobe, a oferta de ações não aumenta proporcionalmente. Isso implica que toda a liquidez injetada nele está mais segura. É um ótimo lugar, assim como os treasuries mas muito mais rentável, pra despeja e criar dinheiro do nada.

Um superciclo de commodities , por sua vez, é incontrolável. Ocasionará um superciclo de produção também, óbvio. Quem vai querer injetar dinheiro infinito nisso, sabendo que isso abrirá um buraco negro de produção para essa liquidez, um portal que transportará o dinheiro para o setor produtivo? Seria um desperdício. Isso também traria instabilidade para o mercado, mais trablho para os BACENs mundo a fora, uma vez que ciclos de super produção inflada artificialmente são como histórias de amor: sempre acabam em tragédia. Um outro ponto é que se um superciclo de commodites vier a acontecer significa prosperidade e aumento, ainda que não no longo prazo, de produção onde e para quem a elite não quer. Percebe o truque?

Concluo dizendo que acredito no ciclo de alta, o que justifica investimentos em empresas do setor mas não estou tão otimista quanto os movimentos indicam que os investidores estão.
Análise aqui é apenas um estudo. Não se trata de recomendação de compra ou venda. Qualquer ponto de entrada, alvos de realização ou stops indicados são, apenas, para avaliar a acurácia da análise.