felipeacorrea1982

VALE3 possibilidades ambíguas

Viés de baixa
BMFBOVESPA:VALE3   VALE ON NM
115 vizualizações
3
Gráfico da VALE3 , após a perda da LTA que durava 1,5 ano na tendência, com último fundo da tendência semanal nos 25. O ativo fez máxima em setembro-outubro, porém verifica-se a existência de um topo duplo nos 62 que primeiramente levou a ação à antiga resistência de 56 na qual repicou até os 52,80 para fazer novo topo duplo nos 58,80.

Após este acontecimento a ação deveria respeitar a zona de resistência representada por um retângulo no gráfico e pela LTA, já 3 vezes testada e bem respeitada por 1,5 ano, porém o volume comprador baixo levou ao rompimento da Linha nos dias 19 e 21 perdendo definitivamente a forte LTA.

A comprovação do rompimento se deu pela barra do dia 23, após um gap de baixa, a queda teve forte volume e no dia seguinte a ação perdeu o suporte de agosto nos 49,23 para fazer mínima de 49,00 no dia 26, com candle de bom volume , repetido no dia seguinte.

Muitos poderiam acreditar que os dois dias de alto volume sem grandes movimentações no preço, respeitando o suporte de 49,00 teriam sido dias de compra dos grandes players, acumulando por meio de softwares VWAP e TWAP para não movimentar o preço e após a conclusão da compra de grande porte jogariam o preço para cima. É possível, o sinal técnico de fundo, mesmo que provisório dos dias 26,27 facultava uma compra para swing trade com um stop razoável e um alvo longo a especular, algo como 55/60. Eu particularmente comprei aos 49,75 após o primeiro doji verde, com stop aos 48,85 e já saí na última sexta aos 53,50, encerrando a operação de tiro curto.

Porém, a perda da LTA não pode ser desprezada pela análise técnica, e mais do que a esperança de ganhar dinheiro temos que ter frieza e perceber que existe uma zona de resistência a ser rompida nos 53,80/54,30 e uma linha de canal de alta. Em análise técnica os grandes rompimentos estatisticamente, por Bulkowski, quase sempre fazem Pullback. É bem possível que a VALE3 continue sua alta para testar o canal e depois desabar até o suporte de junho aos 45 reais, próximo à retração de 50% de fibo. Um alvo mais realista seria a razão áurea de 61,8%, beirando os 40 reais e próxima a um fundo duplo de fevereiro-março.

Para reverter este cenário a ação teria que primeiramente romper as resistências em 52,80, 55, voltar para cima da LTA, romper os topos duplos feitos anteriormente com nova máxima. Se este cenário não se concretizar o mais provável é realmente um período de distribuição para buscar os suportes anteriores de 46,44 e 40 reais. Necessário observar fatores que deflagrem os acontecimentos, portanto, sendo a relação US-China um dos tópicos mais importantes para serem avaliados devido ao minério de ferro e considerando que a empresa é dolarizada, avaliar possível alta-baixa dos juros americanos que irá incidir no preço da moeda, afetando as exportações da VALE S.A.