EvaldoInvest

"De olho em #JBSS3 depois de falha de rompimento de "W"

EvaldoInvest Atualizado   
BMFBOVESPA_DLY:JBSS3   JBS ON NM
"De olho em #JBSS3 depois de falha de rompimento de "W", mas agora temos o noticiário coorporativo que pode dar ao papel nos próximos dias uma nova movimentação altista, mas temos que atentar ao fato da Geopolítica estressada que tem potencial de retardar o movimento .

A JBS
JBSS3
vai duplicar a capacidade de processamento e a força de trabalho de sua unidade Campo Grande II, em Mato Grosso do Sul, tornando a unidade a maior processadora de carne bovina da América Latina e uma das três maiores da companhia no mundo, anunciou a empresa nesta sexta-feira.

A maior produtora global de carnes anunciou que vai investir 150 milhões de reais na expansão da unidade, durante visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à fábrica.

Daqui um ano, o volume processado diariamente na fábrica vai passar de 2.200 para 4.400 cabeças, enquanto o número de funcionários vai passar para 4.600, uma vez que a JBS avalia que a unidade de Mato Grosso do Sul tem potencial de expandir seus embarques, após a China habilitar novos frigoríficos brasileiros para exportação.

A cerimônia com o presidente marcou evento do primeiro embarque de carne bovina da fábrica de Campo Grande para a China, maior importador do produto do Brasil.

O país asiático foi responsável por importar cerca de metade da carne bovina exportada pelo Brasil no ano passado, o que indica o potencial do mercado chinês, considerando as recentes habilitações.

A unidade Campo Grande II da JBS foi uma das 38 habilitadas pelo governo chinês, em 12 de março passado.

Segundo o CEO global da JBS, Gilberto Tomazoni, as habilitações são importantes para o agronegócio de carne bovina do Brasil e mostram a competitividade do país, maior exportador global do produto.

"Operamos em muitos países ao redor do mundo e nenhum deles é hoje tão atrativo quanto o Brasil para se investir no agronegócio", disse Tomazoni, em nota.

Segundo o executivo, as 38 novas habilitações para China "significam um passo gigantesco para o agronegócio brasileiro", além de geração de emprego e renda.

Antes da recente lista de habilitações, divulgada pelo governo chinês em 12 de março, o Brasil contava com 106 plantas habilitadas para exportar ao país asiático, sendo 47 de aves, 41 de bovinos, 17 de suínos e 1 de asininos, segundo dados do Ministério da Agricultura. Agora são 144.

Mato Grosso do Sul, um dos principais produtores de gado do Brasil, tinha apenas três fábricas de proteína bovina habilitadas, tendo passado agora para nove, disse a JBS.

O Estado foi o que mais teve novas habilitações entre todas as unidades da federação no anúncio do mês passado.

Com as liberações, as unidades de produção de bovinos de Mato Grosso do Sul agora podem embarcar por um volume equivalente a 2,3 milhões de animais, acréscimo de 1,87 milhão, o que deve se refletir nas exportações brasileiras, segundo a empresa.

A unidade Campo Grande II produz atualmente 440 toneladas de carne e 136 toneladas de hambúrgueres (ou 2,4 milhões de unidades).

Além da China, a fábrica pode exportar para Estados Unidos, Argélia, Egito, Emirados Árabes Unidos, Argentina, União Europeia e Chile, entre outros, segundo a JBS.
Trade fechado: objetivo atingido

Aviso legal

As informações e publicações não devem ser e não constituem conselhos ou recomendações financeiras, de investimento, de negociação ou de qualquer outro tipo, fornecidas ou endossadas pela TradingView. Leia mais em Termos de uso.