PedroAmbrosioAmorim

ENGI3. Baixa probabilidade, porém...

BMFBOVESPA:ENGI3   ENERGISA ON N2
A Energisa vem desde de seu IPO enfrentando dificuldades para se manter em um ciclo de alta/média probabilidade. Porém, pode ser que a atual lateralidade (BAIXA PROB.) possa gerar rompimentos (ALTA PROB.) das mesmas. Respeita uma LTA BEEEEM longa.

O TRADE: O ciclo atual de lateralidade, como toda lateralidade, deve ser operada nos EXTREMOS. O que eu quero dizer? Comprar na região do R$14.50 e vender na região do R$17.50.
Contudo, dado que é um ciclo de baixa probabilidade eu não recomendo que nenhum inexperiente (nem mesmo os experientes, em suma) operem tal ciclo.

O SUBCICLO: Aí que entra a parte interessante dessa composição gráfica atual. Existe uma lateralidade menor no fundo da lateralidade maior, o que isso quer dizer?
Quer dizer que caso haja o rompimento da região do R$17.49 é possível fazer uma operação de compra a favor da lateralidade maior (por que você está comprando na EXTREMIDADE de baixo) e ao mesmo tempo surfar o rompimento (ALTA PROB.) do subciclo (LATERALIDADE MENOR), obviamente, apenas se a composição das barras for boa. Para tal rompimento do subciclo, podemos razoavelmente ter o topo da lateralidade maior (R$21.84) como um possível alvo.

A BAIXA: Aqui encontramos um GRANDE problema, como podemos observar no gráfico há um grande OCO (Ombro cabeça ombro), figura que na análise gráfica clássica é considerada uma figura de BAIXA.
Porém, o primeiro alvo de um possível rompimento para baixo dessa lateralidade e figura seria a projeção da lateralidade menor, região dos R$11. Caso a queda dê continuidade o R$9.50 pode ser um ponto de realização devido ser a projeção do OCO .

RESUMO: Com tudo isso dito, chego a conclusão que o papel segue indefinido, PORÉM, a qualquer momento pode gerar um ciclo de alta probabilidade tanto para BAIXO como para CIMA. O grande trabalho para agora é esperar que haja o rompimento.

É como disse um grande poeta: "Amanhã tudo pode acontecer, inclusive nada".

ABS E BONS NEGÓCIOS.