ReutersReuters

Índice do dólar é o mais baixo desde agosto com moderação da inflação

O dólar caía para mínimas de 16 semanas contra uma cesta das principais moedas nesta quinta-feira, depois que dados mostraram que os gastos do consumidor norte-americano aumentaram solidamente em outubro, enquanto a inflação nos Estados Unidos moderou, elevando as expectativas de que o Federal Reserve está mais perto de atingir um pico em sua taxa de juros.

O movimento se dá depois que o chair do Fed, Jerome Powell, disse na quarta-feira que está na hora de desacelerar as altas de juros, observando que "desacelerar neste ponto é uma boa maneira de equilibrar os riscos".

Os investidores se confortaram com os comentários, mesmo Powell também tendo dito que os juros ainda vão subir e que o controle da inflação "exigirá manter a política em um nível restritivo por algum tempo".

Os dados desta quinta-feira mostraram que os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, saltaram 0,8% após um aumento não revisado de 0,6% em setembro.

O índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE) subiu 0,3 após avançar na mesma margem em setembro. Nos 12 meses até outubro, o índice de preços PCE aumentou 6,0%, após avançar 6,3% em setembro.

O índice do dólar DXY caía para 104,82 contra uma cesta de moedas, o menor nível desde 11 de agosto e o euro EURUSD atingia 1,05175 dólar, o maior nível desde 29 de junho. O dólar caía para 135,75 ienes USDJPY , a marca mais fraca desde 19 de agosto. A libra GBPUSD atingia 1,22890 dólar, o maior valor desde 27 de junho.

Os comerciantes de futuros de fundos do Fed estão agora precificando que a taxa de referência do banco central atinja um pico de 4,91% em maio, acima dos 3,83% de agora. Os operadores haviam precificado uma taxa acima de 5% antes dos comentários de Powell na quarta-feira. (FEDWATCH), (USONFFE=)

(Reportagem adicional de Alun John em Londres)

Join for free to get the full story
News unlock banner