ReutersReuters

Tripulação de quatro membros da SpaceX atraca com segurança na estação espacial

Uma equipe de quatro membros da cápsula Crew Dragon, da SpaceX, entre eles uma cosmonauta russa e a primeira mulher indígena norte-americana enviada ao Espaço, atracou com segurança na Estação Espacial Internacional (ISS) nesta quinta-feira para iniciar uma missão científica de cinco meses.

O encontro da última expedição da Nasa ao laboratório em órbita ocorreu após um voo de 29 horas para a ISS, enquanto os dois veículos circulavam o globo a cerca de 420 km acima da Terra, mais precisamente sobre a costa oeste de África, de acordo com uma transmissão virtual da Nasa.

A cápsula Crew Dragon, que voa de forma autônoma, apelidada de Endurance, foi colocada em órbita na quarta-feira no topo de um foguete Falcon9 da SpaceX, lançado do Centro Espacial Kennedy da Nasa em Cabo Canaveral, Flórida.

A tripulação inclui dois astronautas norte-americanos da Nasa - a comandante Nicole Aunapu Mann, de 45 anos, e o piloto Josh Cassada, 49 -, além do astronauta japonês Koichi Wakata, 59, veterano de quatro voos espaciais, e da cosmonauta Anna Kikina, 38, a primeira cidadã russa a bordo de uma espaçonave norte-americana em 20 anos.

A inclusão de Kikina, única cosmonauta feminina em serviço ativo com a agência espacial russa Roscosmos, foi um sinal de continuação da cooperação entre EUA e Rússia no Espaço, apesar das crescentes tensões entre Moscou e Washington sobre a guerra na Ucrânia.

A equipe foi liderada por Mann, a primeira mulher indígena que a Nasa enviou ao espaço e a primeira mulher a assumir o posto de comandante de um SpaceX Crew Dragon. Mann, coronel do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA e piloto de combate, também compõe o primeiro grupo de 18 astronautas selecionados para as próximas missões Artemis da Nasa, que tem o objetivo de levar os humanos à Lua no final desta década.

"Estamos ansiosos para começar a trabalhar", disse Mann pelo canal de rádio aberto com o controle de missão e a atual tripulação da ISS momentos após a conclusão do atracamento.

A missão marca a quinta tripulação plena da ISS que a Nasa voou a bordo de uma cápsula SpaceX desde que a empresa de foguetes fundada por Elon Musk, presidente da Tesla TSLA, começou a enviar astronautas dos EUA ao espaço em maio de 2020.

Os austronautas devem realizar mais de 200 experimentos durante a missão de 150 dias, muitos deles focados em pesquisas médicas que vão desde a "bio-impressão" 3D de tecido humano até um estudo de bactérias cultivadas em microgravidade.

A ISS, que abrange a extensão de um campo de futebol, tem sido continuamente ocupada desde 2000, operada por uma parceria liderada pelos EUA e pela Rússia que inclui Canadá, Japão e 11 países europeus.

((Tradução Redação São Paulo))

Join for free to get the full story
News unlock banner