ReutersReuters

Governo britânico pode usar militares para aliviar greves

O Reino Unido está buscando trazer as forças armadas para ajudar a manter serviços públicos em funcionamento caso trabalhadores importantes, inclusive no Serviço Nacional de Saúde britânico, entrem em greve, disse neste domingo o presidente do Partido Conservador que governa o país.

O Reino Unido já está enfrentando ações sindicais em uma série de setores, mas agora lida com greves por parte de milhares de enfermeiros na Inglaterra e trabalhadores de ambulâncias na Inglaterra e no País de Gales que planejam reivindicar ainda neste mês melhores salários e condições de trabalho.

O governo tem solicitado repetidamente aos trabalhadores que parem com a greve, dizendo que não consegue prover aumentos salariais para cobrir a inflação e que, mesmo que pudesse atender às demandas dos trabalhadores, esses aumentos alimentariam ainda mais a inflação.

Alex Baldock, chefe-executivo da varejista britânica de eletricidade Currys CURY, disse que sua empresa não usará o Royal Mail IDS "por enquanto" para reduzir qualquer impacto da greve.

Os trabalhadores da empresa de serviço postal Royal Mail têm realizado diversas greves neste ano em uma disputa sobre salários e condições de trabalho, e mais paralisações estão planejadas para este mês.

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, no poder há pouco mais de um mês, enfrenta uma série de problemas, incluindo o que poderia ser uma longa recessão às vésperas de uma eleição cujas pesquisas de opinião sugerem uma derrota aos Conservadores.

Join for free to get the full story
News unlock banner