ReutersReuters

Meta de 2022 da Airbus pode ser revista após 563 entregas de janeiro a novembro, dizem fontes

A Airbus AIR entregou cerca de 66 jatos em novembro, ficando com um desafio quase recorde de entregar 137 aeronaves em dezembro para atingir sua meta de 2022, embora não tenha excluído a possibilidade de reduzí-la, disseram fontes do setor.

A maior fabricante de aviões do mundo entregou cerca de 563 aviões este ano, disseram as fontes, ante 497 entre janeiro e o final de outubro, ou 495 após o ajuste de duas entregas bloqueadas por sanções russas.

Um porta-voz da Airbus se recusou a comentar a estimativa de novembro, que está sujeita a auditoria interna.

Um aumento tardio ajudou novembro a ter um número maior do que o inicialmente esperado, mas não acabou com as dúvidas sobre a meta de 2022 de “cerca de 700” com semanas antes do final do ano, disseram as fontes.

O recorde anterior de dezembro de 138, visto em 2019, foi alcançado antes que a Covid-19 colocasse forte pressão nas cadeias de suprimentos.

Uma fonte do setor disse que a empresa praticamente perdeu a esperança de atingir sua principal meta de geração de receita. "Eles têm muitos problemas", disse a fonte.

A Airbus anunciará as entregas de novembro em 8 de dezembro, o que também é visto como uma oportunidade para atualizar as metas de fim de ano. Duas fontes disseram que isso não foi descartado, embora observem que a empresa tem um padrão de surpresas positivas no final do ano.

Questionado na última terça-feira se a Airbus manteve sua meta de 2022, o presidente-executivo, Guillaume Faury, se recusou a comentar diretamente, mas disse que teria uma imagem mais clara até o final de novembro e alertou que o ambiente da cadeia de suprimentos “continua muito complexo”.

A Airbus também está atrasando algumas entregas programadas para o próximo ano.

"Não estou preocupado com as coisas que sei, mas com as coisas que podem surgir", disse o diretor operacional Alberto Gutierrez a repórteres no início desta semana, quando solicitado a resumir os riscos atuais na cadeia de suprimentos.

((Tradução Redação São Paulo))

Join for free to get the full story
News unlock banner