ReutersReuters

Trigo cai para mínima de 3 meses em ampla liquidação com protestos de Covid na China

O trigo de Chicago caiu nesta segunda-feira para uma mínima de três meses, com os mercados de commodities e ações caindo devido à preocupação com o impacto de raros protestos na China contra sua estrita política anti-Covid-19.

Suprimentos baratos da Rússia e de outras partes do Mar Negro estão aumentando a competição pelo trigo dos EUA, e os preços caíram para níveis baixos o suficiente para estimular vendas técnicas, disseram analistas e traders.

O trigo mais ativo da Bolsa de Chicago caiu 2%, para 7,8075 dólares o bushel, depois de atingir anteriormente 7,7325 dólares, a menor cotação desde 22 de agosto.

Os fundos provavelmente estavam estendendo posições vendidas com os preços do trigo tão baixos, e a precipitação modesta na semana passada em partes do Texas e Oklahoma pode ter melhorado as condições de cultivo do trigo no inverno, disse Terry Reilly, analista sênior de commodities da Futures International.

O milho ZC1! encerrou misto, e negociações espalhadas envolvendo compras simultâneas de milho e vendas de trigo podem ter sustentado o grão, disse Reilly.

A soja subiu 1,5% para 14,5725 dólares o bushel, apoiada pelo relatório do Departamento de Agricultura dos EUA de uma venda de exportação de 110.000 toneladas para destinos desconhecidos.

Um aumento nos preços do óleo de soja no meio da sessão também puxou a soja para cima. Esses ganhos foram relacionados às expectativas otimistas para o estabelecimento anual da Agência de Proteção Ambiental dos EUA de obrigações de volume renovável para combustível de transporte, disse Mike Zuzolo, presidente da Global Commodity Analytics.

(Reportagem de Rod Nickel em Winnipeg, Manitoba, e Michael Hogan em Hamburgo; com reportagem adicional de Naveen Thukral em Cingapura)

((Tradução Redação Rio de Janeiro, 5521 2223-7104)) REUTERS MN

Join for free to get the full story
News unlock banner