ReutersReuters

Dólar afunda com relatório de empregos dos EUA mostrando quadro misto

O dólar caía nesta sexta-feira, depois que dados mostraram que a maior economia do mundo criou mais vagas de emprego do que o esperado no mês passado, mas sugeriram sinais de desaceleração, com uma taxa de desemprego maior e inflação salarial menor.

Os Estados Unidos criaram 261 mil novas vagas de emprego fora do setor agrícola no mês passado, mostraram dados nesta sexta-feira. Os dados de setembro foram revisados para cima para mostrar 315 mil postos de trabalho adicionados, em vez de 263 mil, conforme relatado anteriormente. Economistas consultados pela Reuters previam 200 mil empregos, com estimativas variando de 120 mil a 300 mil.

No entanto, a taxa de desemprego subiu para 3,7%, ante 3,5% em setembro. O salário médio por hora cresceu 0,4%, após subir 0,3% em setembro, mas o aumento dos salários desacelerou para 4,7% sobre um ano antes em outubro, após avançar 5,0% em setembro.

Às 11:10 (de Brasília), o dólar caía 0,90%, a 146,94 ienes USDJPY, enquanto o euro EURUSD subia 1,37%, a 0,9885 dólar.

Os futuros da taxa de juros precificavam nesta sexta-feira uma chance de 58% de alta de juros de 75 pontos-base no próximo mês e 43% de probabilidade de um aumento de 50 pontos-base. As chances de um aumento de 75 pontos-base chegaram a 64% imediatamente após os dados. (FEDWATCH)

O dólar se fortaleceu na maior parte da semana depois que o chair do Federal Reserve, Jerome Powell, disse na quarta-feira que o banco central norte-americano pode continuar a elevar a taxa de juros se a inflação não desacelerar, fazendo com que os mercados precificassem um pico mais alto para os juros dos EUA.

(Reportagem de Gertrude Chavez-Dreyfuss; Reportagem adicional de Joice Alves e Alun John em Londres)

((Tradução Redação São Paulo, +55 11 5047-3075))

Join for free to get the full story
News unlock banner