ReutersReuters

Dólar fecha em R$4,8713 e marca 2° recuo semanal; Ibovespa avança

Veja como fecharam nesta sexta-feira os mercados no Brasil, Estados Unidos e Europa, além das movimentações nas cotações de petróleo e commodities agrícolas.

BOVESPA-Índice avança com commodities após China cortar juro

O principal índice da bolsa brasileira avançou nesta sexta-feira, impulsionado por ações ligadas a commodities, após anúncio de estímulos econômicos na China, e bancos, ainda que Wall Street tenha fechado sem direção comum com recuperação parcial no final do pregão.

Vale, Petrobras e Banco do Brasil foram as principais influências positivas ao índice, enquanto Ambev e Petz cederam do lado oposto.

O Ibovespa (IFNC11) subiu 1,39%, a 108.487,88 pontos, e fechou a semana com alta de 1,46%, o segundo avanço semanal consecutivo. O volume financeiro foi de 27,8 bilhões de reais, em sessão de vencimento de opções sobre ações na B3.

CÂMBIO-Dólar fecha em R$4,8713 e marca 2° recuo semanal seguido acompanhando exterior

O dólar fechou em forte queda contra o real nesta sexta-feira, marcando sua segunda semana seguida no vermelho, movimento que especialistas disseram acompanhar o recuo recente da divisa norte-americana frente a picos em duas décadas no exterior.

O dólar à vista (BRBY) registrou queda de 0,98%, a 4,8713 reais, seu menor patamar para encerramento desde 22 de abril(4,8065).

A divisa norte-americana fechou abaixo de sua média móvel linear de 50 dias, de 4,8919 reais, um patamar técnico importante.

JURO-Veja o fechamento das taxas dos principais contratos de DI

Mês

Ticker

Taxa (% a.a.)

Ajuste anterior (% a.a.)

Variação (p.p.)

JUL/22

(DIJN22)

12,828

12,83

-0,002

OUT/22

(DIJV22)

13,15

13,17

-0,02

JAN/23

(DIJF23)

13,27

13,28

-0,01

JAN/24

(DIJF24)

12,79

12,87

-0,08

JAN/25

(DIJF25)

12,09

12,22

-0,13

JAN/26

(DIJF26)

11,905

12,035

-0,13

JAN/27

(DIJF27)

11,86

11,985

-0,125

BOLSA EUA-Wall Street fecha sem direção comum; Tesla cai

Wall Street encerrou com resultados mistos nesta sexta-feira, após uma sessão volátil em que a Tesla despencou e outras ações de crescimento também perderem terreno.

O índice S&P 500 (SPX) fechou em alta de 0,01%, a 3.901,36 pontos. O Dow Jones (DJI) subiu 0,03%, a 31.261,90 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite (IXIC) recuou 0,3%, a 11.354,62 pontos.

Os índices S&P 500 e Nasdaq registraram a sétima semana consecutiva de baixas, suas maiores sequência de perdas desde o fim da bolha "pontocom" em 2001.

BOLSA EUROPA-Ações avançam após estímulo da China elevar expectativas de recuperação

As ações europeias subiam nesta sexta-feira e devem apagar as perdas semanais depois que as expectativas de recuperação econômica na China, principal parceiro comercial, foram reforçadas por mais estímulos do banco central.

Às 7:55 (de Brasília), o índice pan-europeu STOXX 600 (.STOXX) subia 1,57%, a 434,73 pontos.

PETRÓLEO-Preços fecham em alta com risco de oferta, apesar de preocupações econômicas

Os preços do petróleo fecharam levemente em alta nesta sexta-feira, com os planos de proibição da União Europeia ao combustível fóssil russo e a flexibilização dos lockdowns contra Covid-19 na China pesando mais que os temores de que a desaceleração do crescimento econômico prejudicará a demanda.

Os contratos futuros do Brent (BRNM2024) para julho subiram 0,51 dólar, ou 0,5%, para 112,55 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) (CL2E) para junho avançou 1,02 dólar, ou 0,9%, para fechar a 113,23 dólares, em seu último dia como primeiro contrato.

O WTI registrou sua quarta semana consecutiva de ganhos, o que aconteceu pela última vez em meados de fevereiro. O Brent ganhou cerca de 1% nesta semana, depois de cair cerca de 1% na semana passada.

GRÃOS

O trigo de Chicago caiu pela terceira sessão consecutiva nesta sexta-feira, recuando ainda mais de uma máxima de dois meses atingida no início desta semana, com vendas técnicas pressionando o mercado, disseram traders.

Na bolsa de Chicago, o contrato de trigo mais ativo (Wv1) perdeu 31,75 centavos de dólar a 11,6875 dólares o bushel, uma queda semanal de 0,7%.

O milho (Cv1) fechou em queda de 4,50 centavos de dólar a 7,7875 dólares o bushel, fechando com recuo pela terceira semana consecutiva.

A soja (Sv1) ganhou 14,75 centavos de dólar para 17,0525 dólares o bushel, registrando um ganho semanal de 58,75 centavos, um aumento de 3,6%.

CAFÉ

O café arábica para julho (KCc2) caiu 2,85 centavos de dólar, ou 1,3%, 2,1585 dólares por libra-peso​​, após recuar 4% na quarta-feira, à medida que temores dos investidores sobre o risco de geada no principal produtor, o Brasil, diminuíram.

O café robusta para julho (RC2!) caiu 24 dólares, ou 1,2%, a 2.056 dólares a tonelada.

AÇÚCAR

O açúcar bruto para julho (SBV2023) fechou em alta de 0,18 centavo de dólar, ou 0,9%, a 19,95 centavos de dólar por libra-peso.

O açúcar branco para agosto (LSUc1) subiu 6,30 dólares, ou 1,1%, para 558,10 dólares a tonelada.

(PANORAMA 1, PANORAMA 2 e PANORAMA 3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

((Redação São Paulo, +5511 5644 7745))

REUTERS LM IV

Continue lendo
Entre ou inscreva-se em uma conta TradingView gratuita, e desfrute de um acesso sem restrições às notícias financeiras globais, em tempo real.