ReutersReuters

Forças de Israel matam palestino em confronto na Cisjordânia

Soldados israelenses mataram neste sábado um palestino na Cisjordânia durante uma operação na cidade natal de um atirador que havia realizado um ataque a tiros em Tel Aviv, disseram fontes israelenses e palestinas.

As tensões entre israelenses e palestinos aumentaram no período que antecedeu o mês sagrado muçulmano do Ramadã, com ambos os lados alertando contra a escalada. Desde então, a violência aumentou.

O Ministério da Saúde palestino disse que 13 pessoas ficaram feridas na troca de tiros deste sábado na cidade de Jenin. A Jihad Islâmica Palestina afirmou que o homem morto era membro do grupo.

Os militares israelenses disseram que seus soldados estavam realizando uma operação antiterrorista na área e abriram fogo contra palestinos armados que atiraram contra eles.

Moradores disseram que as tropas cercaram a casa de um homem que na noite de quinta-feira abriu fogo em um bar de Tel Aviv e matou três israelenses. Ele foi morto a tiros algumas horas depois em um tiroteio com as forças de segurança israelenses.

O Ministério da Defesa de Israel anunciou uma série de restrições na área de Jenin no sábado, proibindo o fluxo por sua principal passagem para Israel. Jenin é considerada um reduto de militantes palestinos.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, condenou na sexta-feira o ataque em Tel Aviv.

Mas ele também alertou sobre os perigos das provocações israelenses na mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, um ponto perene de tensão, dias depois de um legislador israelense de extrema direita visitar o complexo, sagrado para muçulmanos e judeus.

Apesar da tensão, o Ramadã terminou na sexta-feira pacificamente.

O tiroteio de quinta-feira elevou o número de pessoas mortas em uma série de ataques árabes e palestinos em Israel no mês passado para 14, o aumento mais acentuado dessa violência em anos, que os líderes israelenses descreveram como "uma nova onda de terrorismo".

Mais de 20 palestinos foram mortos pelas forças israelenses desde janeiro. Palestinos na Cisjordânia relataram um aumento na violência por parte de colonos israelenses.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753))

Join for free to get the full story
News unlock banner