ReutersReuters

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm leve alta

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou moderadamente na semana passada, apontando para um mercado de trabalho ainda apertado e forte, apesar dos crescentes receios de uma recessão.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 4.000, para 230.000 na semana encerrada em 3 de dezembro, disse o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira, em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters.

Os pedidos tendem a ser voláteis no início da temporada de final de ano, uma vez que as empresas fecham temporariamente ou contratam lentamente. Eles atingiram uma máxima de três meses uma semana antes do feriado de Ação de Graças, mas praticamente devolveram as perdas na semana seguinte.

Embora tenha havido um aumento nas demissões no setor de tecnologia, com Twitter, Amazon AMZN e Meta META anunciando milhares de cortes de empregos em novembro, isso não alterou significativamente a dinâmica do mercado de trabalho.

O governo informou na semana passada que foram abertas fora do setor agrícola 263.000 vagas de trabalho em novembro. Economistas dizem que as empresas de tecnologia estão se ajustando após contrataçãos excessivas durante a pandemia de Covid-19, observando que as pequenas empresas continuam desesperadas por trabalhadores

O Federal Reserve quer retardar o mercado de trabalho para esfriar a inflação. O banco central dos EUA aumentou sua taxa de juros em um total de 3,75 pontos percentuais este ano, de quase zero, para uma faixa de 3,75%-4,00%.

Economistas preveem que o Fed continuará apertando a política monetária e elevará a taxa para um nível mais alto do que os 4,6% projetados recentemente, onde ela poderia permanecer por algum tempo.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2984))

Join for free to get the full story
News unlock banner