ReutersReuters

Criação de vagas de trabalho nos EUA supera expectativas e taxa de desemprego fica estável em 3,7%

Os empregadores dos Estados Unidos contrataram mais trabalhadores do que o esperado em novembro e aumentaram os salários, apesar dos crescentes temores de recessão, o que pode complicar a intenção do Federal Reserve de começar a desacelerar o ritmo de suas altas de juros neste mês.

A criação de vagas fora do setor agrícola dos EUA totalizou 263 mil no mês passado, disse o Departamento do Trabalho em seu relatório de emprego nesta sexta-feira. Os dados de outubro foram revisados para cima para mostrar abertura de 284 mil postos, em vez dos 261 mil informados anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam criação de 200 mil empregos em novembro. As estimativas variaram de 133 mil a 270 mil.

A contratação nos EUA continua forte, embora empresas de tecnologia, incluindo Twitter, Amazon AMZN e Meta META, controladora do Facebook, tenham anunciado milhares de cortes de empregos.

Economistas disseram que essas empresas estavam se ajustando após contratações excessivas durante a pandemia de Covid-19. Eles observaram que as pequenas empresas continuam desesperadas por trabalhadores.

Ao final de outubro, havia 10,3 milhões de vagas disponíveis nos EUA, muitas delas nas áreas de lazer e hotelaria, saúde e assistência social.

A taxa de desemprego manteve-se inalterada em 3,7% em novembro.

O salário médio por hora aumentou 0,6%, após avançar 0,5% em outubro. Isso elevou o ganho anual dos salários a 5,1%, de 4,9% em outubro. O crescimento dos salários atingiu um pico de 5,6% em março.

O relatório de emprego norte-americano veio após dados de quinta-feira terem mostrado desaceleração da inflação em outubro. Ainda assim, o mercado de trabalho continua apertado, com 1,7 emprego para cada desempregado em outubro, devendo manter o Fed em sua trajetória de aperto monetário pelo menos até o primeiro semestre de 2023.

O chair do Fed, Jerome Powell, disse na quarta-feira que o banco central dos EUA pode reduzir o ritmo de seus aumentos de juros "já em dezembro". As autoridades do Fed se reúnem em 13 e 14 de dezembro.

O Fed já elevou sua taxa básica de juros em 3,75 pontos percentuais este ano, de quase zero para uma faixa de 3,75% a 4,00%, no ciclo de aumento mais rápido desde a década de 1980.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447723))

Join for free to get the full story
News unlock banner