ReutersReuters

Produção de Stellantis na Itália cairá pelo 5º ano consecutivo, diz sindicato

A Stellantis STLA deve ver sua produção de veículos na Itália cair pelo quinto ano consecutivo em 2022, principalmente devido a paralisações causadas por uma crise prolongada no fornecimento de componentes eletrônicos, disse o sindicato de trabalhadores FIM-CISL nesta sexta-feira.

Com base nos dados dos primeiros nove meses do ano, o sindicato estima que a Stellantis, proprietária de marcas como a Fiat, Peugeot e Citroen, produzirá menos de 650 mil veículos até o final do ano em suas fábricas italianas, abaixo dos 673.574 em 2021.

Isso pode representar um déficit de cerca de 200 mil unidades em relação ao potencial gerado pelas encomendas já recebidas, disse o sindicato em relatório trimestral sobre a produção da Stellantis no país.

Ferdinando Uliano, chefe do setor automotivo da FIM-CISL, disse que a falta de chips foi o principal motivo da queda na produção, mas também estão ocorrendo problemas com outras peças. Ele não deu mais detalhes.

O problema dos componentes eletrônicos "também afetará 2023", disse Uliano, ao apresentar o relatório.

"A guerra na Ucrânia, a interrupção do fornecimento de gás russo... só podem piorar ainda mais o problema da aquisição e dos custos de matérias-primas", acrescentou.

Um total de 235 dias úteis foram perdidos entre janeiro e setembro devido a paralisações na produção, de acordo com o relatório.

"Ainda não recuperamos os níveis pré-pandemia", disse Uliano.

Nos primeiros nove meses de 2022, a produção de Stellantis na Itália caiu 2,4% ano a ano, para 515.380 veículos, disse o FIM-CISL. Essa foi uma queda um pouco menor do que no primeiro semestre, quando as interrupções no setor de transporte também atingiram a produção.

A produção de veículos comerciais leves na fábrica da Stellantis em Sevel, no centro da Itália - a maior instalação de montagem de vans da Europa - caiu 27,5% ano a ano.

A produção de automóveis, no entanto, aumentou 14,1% no mesmo período, ajudada por novos modelos.

(Por Giulio Piovaccari)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447500))

Join for free to get the full story
News unlock banner