ReutersReuters

UE quer quebrar impasse sobre teto para preço do gás

A questão de se, como e quando limitar os preços do gás dominou sobre outra reunião de países da União Europeia nesta quarta-feira, enquanto buscam um plano conjunto para limitar os altos preços do gás - compromisso discutido há semanas.

O grupo de 27 países está planejando seu próximo passo para domar os preços crescentes da energia e proteger os consumidores do aumento das contas, enquanto enfrenta escassez de gás russo, crise de custo de vida e a ameaça iminente de recessão.

Os ministros de energia da UE reunidos em Praga tentarão dar instruções mais claras sobre o que a Comissão Europeia deve propor como a próxima medida emergencial de energia do bloco.

"Estamos todos de acordo que precisamos fazer algo mais. Os mecanismos exatos podem levar algum tempo", disse o ministro irlandês do clima, Eamon Ryan.

O comissário de energia da UE, Kadri Simson, disse que Bruxelas proporá novas medidas na próxima semana, e quaisquer outras medidas em toda a UE devem ser apoiadas por "amplo consenso" entre os países.

Até agora, isso tem sido difícil de encontrar.

Com os preços do gás quase 90% maiores do que há um ano, a maioria dos países da UE diz que quer um teto para o preço, mas discorda da ideia de ter um teto de preço para todo o gás, gás de gasoduto ou apenas gás usado para produzir eletricidade entre as opções países têm discutido nas últimas semanas.

"Há muito mais pontos em comum do que tínhamos algumas semanas atrás", disse o ministro do clima holandês, Rob Jetten, na quarta-feira.

Jetten disse que os países discutiram os riscos de dissociar os preços do gás e da energia - possivelmente através de um programa similar ao do esquema de Espanha e Portugal para limitar o preço do gás usado para geração de energia - e agora cabe à Comissão encontrar um proposta que todos concordem.

Espanha e Portugal implementaram um esquema em junho, o que ajudou a reduzir os preços. Um alto funcionário da UE disse que o apoio está crescendo para implementá-lo em toda a UE - embora alguns alertem que pode aumentar a demanda de gás em todo o bloco, já que o uso de gás da Espanha aumentou sob a medida.

A Rússia reduziu as entregas de gás para a Europa desde a invasão da Ucrânia, culpando os cortes pelas sanções ocidentais impostas na sequência.

Isso elevou os preços e deixou os países lutando para garantir alternativas. A Alemanha e a Holanda estão entre os que se opõem a um amplo teto de preço da gasolina, temendo que isso deixe a Europa lutando para atrair suprimentos de mercados globais competitivos.

Os dois países sugeriram 10 medidas da UE, incluindo um novo preço de referência para o gás natural liquefeito, metas mais duras de economia de gás e negociação de preços mais baixos com fornecedores como a Noruega.

O ministro da Energia da Noruega, Terje Aasland, que participou da reunião de quarta-feira junto com outros membros europeus não pertencentes à UE, disse que seu país "não recomenda" um teto para o preço da gasolina.

A pressão para concordar com mais medidas em toda a UE aumentou após a Alemanha dizer que gastaráa até 200 bilhões de euros para proteger seu mercado dos altos custos de energia - provocando uma reação de alguns países sobre a distribuição desigual do apoio nacional.

(Por Kate Abnett, Robert Muller, Marine Strauss, Jason Hovet, Alan Charlish e Miranda Murray)

((Tradução Redação São Paulo)

Join for free to get the full story
News unlock banner