ReutersReuters

Rússia considera abolir cota de exportação de grãos, diz agência Interfax

Pontos principais:
  • Este conteúdo foi produzido na Rússia, onde a lei restringe a cobertura de operações militares russas na Ucrânia

A Rússia, o maior exportador de trigo do mundo, está considerando abolir sua cota de exportação de grãos que geralmente é estabelecida na segunda metade da temporada de comercialização de julho a junho, informou a agência de notícias Interfax, citando a vice-primeira-ministra russa.

A Rússia, que fornece seu trigo para a África e o Oriente Médio, geralmente estabelece cotas de exportação de grãos para o período de meados de fevereiro até o final de junho para garantir suprimento suficiente para as necessidades domésticas.

"A colheita é grande, então, em princípio, provavelmente, sim, não há pré-requisitos para impor quaisquer restrições quantitativas no momento", disse Viktoria Abramchenko, responsável pelo setor agrícola no governo, na terça-feira.

A Rússia está a caminho de colher uma safra recorde de grãos de 150 milhões de toneladas, incluindo 100 milhões de toneladas de trigo, em 2022, segundo previsão do presidente Vladimir Putin.

A União dos Exportadores de Grãos da Rússia disse nas redes sociais que seria melhor manter o sistema de cotas, mas garantir que a dimensão não seja de natureza restritiva.

A cota de 25 milhões de toneladas de grãos para exportação a partir de meados de fevereiro e até 30 de junho "pode ​​se tornar uma opção de compromisso", disse o sindicato.

"A cota foi introduzida como uma medida sistemática para regular as exportações de grãos, então provavelmente não faz sentido cancelá-la devido às circunstâncias de uma determinada temporada", acrescentou.

(Por Maxim Rodionov e Polina Devitt; redação de Polina Devitt)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447500))

Join for free to get the full story
News unlock banner