ReutersReuters

Moedas latino-americanas começam semestre com perdas por preocupações com recessão

As moedas latino-americanas caíam acentuadamente nesta sexta-feira, com o peso chileno renovando seu nível mais fraco já registrado, conforme o medo de que as principais economias entrarão em recessão levava investidores a ativos seguros.

À medida que os principais bancos centrais priorizam o controle da inflação em vez da atividade, investidores começaram a precificar um impacto no crescimento econômico e a favorecer ativos como o dólar.

O preço elevado das commodities devido a sanções contra a Rússia chegou a ajudar ativos da América Latina, rica em recursos, a seguir à tona. Mas a recente queda nos preços desse tipo de produto, combinada a algumas questões políticas regionais, derrubou os mercados da região nos últimos dias.

O peso mexicano USDMXN caía 0,7%, depois de ter registrado perdas moderadas no segundo trimestre em comparação com outras moedas de mercados emergentes.

O real (BRBY) recuava 1,7%, após a aprovação na véspera de uma PEC que amplia auxílios sociais e cria novos benefícios, prevendo despesas que ultrapassarão o teto de gastos da União.

Diante de queda nos preços do cobre e do petróleo, as moedas de Chile e Colômbia, países exportadores dessas respectivas commodities, perdiam 1,7% e 1,3% nesta sexta-feira. O peso chileno USDCLP registrou nesta sessão seu menor patamar já registrado, de 939,60 por dólar.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447723))

Join for free to get the full story
News unlock banner