ReutersReuters

Israel indicia cinco israelenses por suposto contato com agente iraniano

Um agente iraniano que se passava por judeu vivendo no Irã convenceu cinco israelenses pelas redes sociais a fornecerem informações que incluíam fotos de uma missão diplomática dos Estados Unidos, afirmou uma agência de contra-inteligência de Israel nesta quarta-feira.

As quatro mulheres e um homem acusados na investigação foram descritos na imprensa israelense como imigrantes judeus do Irã, considerado o arqui-inimigo de Israel, ou descendentes.

A agência Shin Bet afirmou em nota que eles foram indiciados por "crimes graves" no mês passado por conta de seus contatos com "Rambod Nambar" pelo Facebook e WhatsApp.

Segundo a nota da agência, o suposto espião iraniano ludibriou três pessoas sem acesso a informações confidenciais, três delas eram avós.

"Eu parabenizo a Shin Bet e a polícia de Israel pela operação bem-sucedida em frustrar atividades terroristas hostis", disse o primeiro-ministro, Naftali Bennett, em um comunicado.

Bennett avisou os israelenses que o Irã pode estar por trás de "informações que você consome ou compartilha nas redes sociais".

De sua parte, o Irã há muito acusa a agência de espionagem israelense Mossad de comandar agentes no país, e de sabotagens e assassinatos com o objetivo de impedir o programa nuclear iraniano. O governo do Irã nega as acusações de Israel de que estaria buscando armamentos nucleares.

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702))

Join for free to get the full story
News unlock banner