14:00Nov 25, 2021Reuters

Dólar cai de máximas em 16 meses atingidas em meio a expectativas de Fed hawkish

O dólar caía nesta quinta-feira, mas ainda perto de seu maior patamar desde julho de 2020 contra o euro, tendo se fortalecido devido às expectativas do mercado de que o Federal Reserve aumentará os juros mais cedo do que outros grandes bancos centrais.

A ata da reunião do Fed de 2 e 3 de novembro impulsionou o dólar na quarta-feira, conforme o documento indicava que o Fed está se preocupando mais com o aumento da inflação. Várias autoridades disseram que estão abertas a acelerar a redução de seu programa de compra de títulos caso a inflação alta persista e para agir mais rapidamente na elevação dos juros.

Dados de quarta-feira mostraram que os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA tocaram uma mínima em 52 anos, enquanto os gastos do consumidor aumentaram mais do que o esperado em outubro e a inflação está acelerando.

Mas nesta quinta-feira, a tendência de alta do dólar --que viu um ganho de cerca de 2,7% neste mês-- fez uma pequena pausa, com o índice do dólar () caindo 0,1% em 96,707, em comparação com a máxima de 16 meses de 96,938 alcançada na véspera.

Neil Jones, chefe de vendas de câmbio do Mizuho, ​​disse que espera que a queda do dólar seja um "ponto temporário".

"Na próxima semana após o Dia de Ação de Graças e em dezembro, estou prevendo mais força do dólar, embora em um ritmo bastante moderado", disse ele.

Mas, em nota a clientes, estrategistas do ANZ John Bromhead e Daniel Been disseram que, com os mercados dos EUA fechados para o Dia de Ação de Graças, "um período de consolidação tática pode estar próximo."

O euro subia 0,2% em relação à divisa norte-americana, a 1,1224 dólar (EUR=EBS), uma leve recuperação. Mas ainda perdia cerca de 2,9% no mês até agora, pressionado por expectativas de que o Banco Central Europeu seja mais "dovish" (inclinado a condições monetárias mais expansionistas) do que o Fed, assim como, mais recentemente, uma nova onda de restrições devido à Covid-19 na Europa.

A coroa sueca se fortaleceu ligeiramente e subia cerca de 0,4%, para 9,0739 contra o dólar (SEK=D3), e cerca de 0,3%, para 10,185 em relação ao euro (EURSEK=D3), mas ainda a caminho de registrar seu pior mês contra a divisa europeia desde março de 2020.

No mercado de criptomoedas, o bitcoin () avançava cerca de 2,6%, a 58.646,11 dólares, recuperando-se da mínima do mês de 55.128,60 dólares atingida na terça-feira.

(Por Elizabeth Howcroft)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2838))

REUTERS PVB CMO