ReutersReuters

Indianos suspendem novos acordos de exportação de açúcar com alta no preço local

As usinas indianas estão adiando a assinatura de novos contratos de exportação de açúcar para a próxima temporada, uma vez que a alta dos preços domésticos para uma máxima de 4 anos aumentou a diferença entre os valores locais e globais, disseram autoridades do setor à Reuters.

"As usinas não estão assinando contratos de exportação, pois estão obtendo preços muito mais altos no mercado local", disse Prakash Naiknavare, diretor administrativo da Federação Nacional de Fábricas Cooperativas de Açúcar.

Embarques menores da Índia podem sustentar os preços globais SB1!, (LSUc1), uma vez que os fornecimentos do principal produtor, Brasil, devem cair, e os traders estão apostando na Índia para compensar o déficit.

Após embarcar um recorde de 7,5 milhões de toneladas de açúcar na atual temporada, as usinas indianas assinaram contratos para exportar 1,2 milhão de toneladas na campanha de comercialização de 2021/2022, que começa em 1º de outubro.

A maior parte desses acordos foi assinada em agosto, mas um aumento nos preços domésticos desde então reduziu os novos contratos quase a zero, segundo os negociadores.

"Até o mês passado, as usinas estavam interessadas nas exportações, já que os preços locais e globais estavam no mesmo nível. Depois que os preços locais aumentaram, seu interesse diminuiu", disse um comerciante de Mumbai de uma trading global, que não quis ser identificado devido à política da empresa.

Os preços locais do açúcar subiram 13% em dois meses para 36.900 rúpias (500,39 dólares) por tonelada, o maior desde novembro de 2017, depois que as exportações dispararam no ano atual e a economia se recuperou da crise da Covid-19.

(Reportagem de Rajendra Jadhav)

((Tradução Redação São Paulo 55 11 56447751)) REUTERS RS

Join for free to get the full story
News unlock banner