ArielNonato

HGTX3- VIÉS DE ALTA

Viés de alta
Pessoal, infelizmente o tradingview removeu 9 publicações de minha página, porque coloquei o link de meu instagram pessoal, o que é uma violação das regras da plataforma. Eu tinha um carinho especial pelas análises feitas, pois sempre demoro muitas horas para fundamentar, analisar e por fim escrever para vocês. Tal punição reduziu minha reputação consideravelmente! Aos que me acompanham, sabem da qualidade e acuracidade de minhas análises técnicas. Portanto, agora conto com a colaboração de vocês para continuar publicando aqui no site, se a análise serviu para você, te ajudou, por favor curta e comente, isso me ajudará a retomar a credibilidade e posicionamento na página.

CONTEXTO E FUNDAMENTAÇÃO
Olá, Investidores! Hoje trago a análise técnica da HGTX3, a popular lojas Hering. Antes de inciar está análise gostaria de revisar juntamente com vocês dois pontos básicos da teoria de Down:
1. Os índices descontam tudo: todos os possíveis fatores que afetam a cotação dos preços dos ativos (ações) são descontados por esses índices que consideram todas as notícias, resultados contábeis e financeiros, acidentes e etc.
2. Volume convergente: quando o mercado mudar a tendência haverá um aumento expressivo no volume das negociações. Dow acreditava que volumes menores eram apenas algum vendedor ou comprador agressivo, e que para mudar uma tendência precisava que um bom volume confirmasse. Enquanto não houver um volume alto confirmando a mudança de tendência, vale a tendência anterior.
Estes dois pontos, são fundamentais a se considerar antes de apontar o viés de uma tendência. Assim, insisto a vocês que me acompanham, que estudem bastante e não tenham suas iniciativas de investimento baseados em sugestões de gatilho. Nesse sentido, meu intuito é auxiliar vocês a desenvolver a capacidade crítica dentro da análise técnica.
Nos voltando aos dois pontos básicos da Teoria de Down, percebemos no ponto 1 que existem muitos fatores que afetam as cotações: notícias, resultados contábeis e financeiros, acidentes, catástrofes e como não citar a pandemia ocasionado pelos vírus COVID-19. Dessa forma, a análise técnica, por si só, não dita a tendência do mercado, mas aponta apenas o caminho mais provável (probabilidade) de movimentação diante de um padrão observado. Seguindo para o ponto 2, percebemos que quando ocorre a mudança de tendência esta vem acompanhada por aumento expressivo no volume das negociações.

ANÁLISE TÉCNICA:

O padrão observado, pode ser configurado como uma flâmula de alta. Para quem não conhece esse padrão, sugiro ver a análise que fiz para BBDC4 , na qual identifico o mesmo padrão. Em, aproximadamente, 13 de maio, HGTX3 teve a demarcação de mudança de tendência confirmada pelo expressivo aumento de volume (linha azul representa MA do volume ), em conformidade com a Teoria de Down. No entanto, após alcançar o patamar de 17. 01 , iniciou um movimento de queda. Observem que este movimento ascendente, não ocorre de qualquer modo, mas obedece o triângulo simétrico representado em verde. Em 15 de junho HGTX3 alcança o suporte dado pela retração de Fibo de 50%, fazendo alguns retestes neste suporte, etapa esta denominada de período de congestão. A confirmação de alta deve ocorrer após a ruptura do triângulo simétrico. Para prever o caminho mais provável de movimentação do ativo, traçamos o leque de Gann que fornece as linhas de suporte diagonais. O nosso foco está centrado na linha de Gann 3/1, que deve ser nossa possível linha de tendência de alta (LTA primária). A entrada mais segura, seria HGTX3 se estabelecer acima da região de 15.06 (fazendo um pivô de alta). Os possíveis alvos estão demarcados pelas linhas sólidas paralelas em vermelho em 15.56 e 16.93.

Ariel Nonato
Comentário: Após o rompimento do triângulo buscou o nosso primeiro alvo, no entanto está sentindo a resistência de 15.53.
Trade fechado: objetivo atingido